Categoria: Cafés especiais

Cafés especiais 24 de maio 2019

Como escolher um moedor de café?

Como escolher um moedor de café?

Nada como preparar um café especial moído na hora, concorda?

Dito isso, frequentemente recebemos mensagens de nossos seguidores interessados em adquirir um moedor. Porém, muitas pessoas ainda ficam em dúvida de qual produto adquirir.

Como escolher um moedor de café?

Mas este artigo deve ajudar você, pois listaremos nele alguns tipos e de acordo com cada necessidade.

Vamos lá, então?

Meu primeiro moedor

Se você está adquirindo seu primeiro moedor e apenas para usar no dia a dia, em cafés coados, o moedor de café pode ser elétrico, com lâmina parecida com a de um liquidificador,  ou manual, que possui lâmina cônica.

Nós sempre recomendamos o segundo, pois a lâmina cônica permite uma moagem uniforme, com ajustes e preservando as características originais do café. Mas claro, a escolha é muito particular e outros fatores também podem influenciar, como preço, disponibilidade, entre outros.

Por exemplo, por aqui temos alguns moedores, pois já estamos no mundo dos cafés especiais há anos. Porém, falando especificamente em moedor manual, existem muitos modelos e marcas no mercado. Mas o nosso, que é show,  é da marca japonesa Hario. Veja o vídeo abaixo e confira:

 

Próximo passo

Certo, você já possui um moedor, seja ele elétrico, menos robusto, ou manual, e quer dar o próximo passo?

A gente sabe, já passamos por isso. Além dos coados, você quer fazer um espresso top e não consegue a moagem indicada, correto?

Assim como nos outros tipos, existem muitas marcas e modelos no mercado. Porém, temos um dica incrível. Existe um que apresenta custo-benefício excelente. Trata-se do Breville by Tramontina.

Com esse moedor, basta escolher a moagem preferida, que nesse caso é digital, e apertar o botão. E melhor ainda, além do espresso, claro, você vai economizar tempo e esforço quando quiser moer seu café para qualquer método que escolher, inclusive para café turco.

Linha Profissional

Ele é utilizado geralmente em cafeterias, padarias e outros São maiores e robustos, preparados para serem usados profissionalmente. E claro, sendo assim, exige conhecimento dos baristas nas regulagens necessárias.

Mas como estamos falando especificamente para coffee lovers, fica para uma próxima conversa, combinado?

 

 

Rick e Aline
Um casal apaixonado por cafés compartilhando experiências
Cafés especiais | Dicas 20 de março 2019

Qual a diferença entre Arábica e Robusta?

Qual a diferença entre Arábica e Robusta?

Diariamente nos deparamos com uma série de dúvidas a respeito das diferenças que existem entre os tipos de café: Arábica e Robusta.

Então queremos ajudar a esclarecer essas questões. Afinal, não são todas as pessoas que possuem acesso a essas informações.

Qual a diferença entre Arábica e Robusta?

Portanto, vamos lá então com algumas diferenças:

Os Cromossomos

O arábica tem 44 cromossomos, proporcionando ao café diferentes nuances. O robusta tem apenas 22, com menos peculiaridades.

A Bebida

O arábica produz uma bebida suave. As nuances de sabores proporcionam também diferentes doçuras e outras características. E o resultado são os cafés especiais.

Já o robusta resulta na bebida dura. Ele geralmente é utilizado nos cafés muito consumidos na maioria dos lares brasileiros, em blends. E vale lembrar que a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) passou a filiar produtores de Café Robusta, por conta do trabalho dedicado dos produtores brasileiros.

Qual tem mais cafeína?

O teor de cafeína é mais baixo no arábica, 1,2% em média. E no robusta, 2,2%.

Esses índices interferem diretamente no sabor, já que conferem ao robusta um amargor mais presente.

No campo

O robusta normalmente é plantado até 800 metros de altitude. E a planta é muito difundida na África, Ásia, Indonésia e Brasil.

E calcula-se que é responsável por um quarto da produção mundial.

E enquanto isso, o arábica precisa ser plantado em altitudes maiores. Sendo originária da Etiópia, a planta é bastante delicada e necessita de tratamentos intensos.

Os maiores cultivadores desta espécie são os países da América do Sul(inclusive o Brasil) e Central. E também em alguns países da África e Ásia.

E ele possui numerosas variedades. Dentre muitas, podemos citar: Bourbon, Mundo Novo, Caturra, Obatã,  entre outros.

Mesmo o arábica sendo menos resistente às doenças e produzindo menos floradas do que o robusta, estima-se que ele seja responsável entre 70 e 75% da produção mundial.

Conclusão

Temos que ter em mente que a qualidade deve ser exigida, independente do tipo de café que esteja apreciando, seja ele arábica ou robusta.

Portanto, quando for comprar café, questione sobre a procedência, pois está pagando por isso. E claro, aconselhamos sempre dar preferência aos cafés especiais, porque eles são facilmente rastreados.

Existem alguns que possuem inclusive um QR Code na embalagem. E instantaneamente você tem acesso a todas as informações do café.

Afinal, tem coisa melhor do que tomar café bom?

Rick e Aline
Um casal apaixonado por cafés compartilhando experiências
Cafés especiais | Dicas 05 de março 2019

Café em grãos é melhor que moído?

Na última semana fizemos uma postagem no instagram sobre o assunto e a repercussão foi bacana. Principalmente pelo aumento do número de pessoas consumindo o café em grãos.

Quando a gente vai se acostumando com os variados tipos de cafés de qualidade, é normal que surjam dúvidas.  Principalmente por nos tornarmos mais exigentes em aproveitar ao máximo as propriedades do café.

Mas fique tranquilo (a), estamos aqui para ajudar e compartilhar nossas experiências.

 

Sobre o café moído

O café moído é o mais comum e utilizado por muitos brasileiros há muito tempo.

Antes de ser moído, ainda em grãos, ele é torrado. E após esse processo, ele é levado ao moinho para ser moído.

Sobre o café em grãos

O café em grãos também passa por uma seleção de acordo com os critérios de qualidade adotados por cada produtor.  E, em seguida, é enviado para a torra.

Café em Grãos ou moído

Café Torrado em Grãos

Mas aí vem aquela questão:

Qual das duas opções devo escolher para aproveitar ao máximo a qualidade do café?

Antes de tudo, gostaríamos de deixar claro, como sempre, que respeitamos a escolha de todos e que o paladar varia de pessoa para pessoa.

Dito isso, o café em grãos é o mais indicado em relação ao moído. Pois após o processo de moagem, o café começa a perder rapidamente seu aroma, cremosidade e sabor.

Mas para quem ainda não tem um moedor em casa e ainda escolha comprar o café moído, temos uma dica legal para conservar mais o café moído. Quer saber como? Clique aqui!

Rick e Aline
Um casal apaixonado por cafés compartilhando experiências
Cafés especiais | Dicas 20 de fevereiro 2019

7 dicas essenciais para preparar Cafés Especiais em Casa

Muitas pessoas entram em contato conosco pedindo dicas para fazer Cafés Especiais em casa. E por se tratar de um Café Especial, realmente seu preparo requer alguns cuidados para se obter o melhor resultado.

Mas antes de começar, você já sabe o que é Café Especial?

Hario V60 - Cafés Especiais

Hario V60 – Cafés Especiais

De acordo com a BSCA, Associação Brasileira de Cafés Especiais , Cafés Especiais são grãos isentos de impurezas e defeitos que possuem atributos sensoriais diferenciados.

Estes atributos, que incluem bebida limpa e doce, corpo e acidez equilibrados, qualificam sua bebida acima dos 80 pontos na análise sensorial.

Além da qualidade intrínseca, os cafés especiais devem ter rastreabilidade certificada e respeitar critérios de sustentabilidade ambiental, econômica e social em todas as etapas de produção.

Dito isso, vamos lá?

Confira abaixo 8 dicas para preparar cafés especiais:

1 – Escolha do café: Grão ou Moído?

Existem vários lugares atualmente que comercializam Cafés Especiais. Eles podem ser comprados principalmente em cafeterias, lojas online, empórios, direto do produtor, entre outros.

E para se obter o melhor sabor do café, preferencialmente, tem que ser moído na hora. Portanto, em grãos é o mais indicado. Mas caso não tenha moedor em casa, procure comprar o produto em locais que façam a moagem do grão na hora para você.

2- Água

Caso ainda não possua algum equipamento que controle a temperatura da água, fique atento(a), pois ela não pode ferver. O ponto correto é quando a água começa a liberar aquelas bolhinhas no fundo.

3- Porta filtro e coador de papel

Independente da marca de porta filtro e filtro de papel que esteja usando, a dica é despejar um pouco de água quente para escaldar o filtro, antes de colocar o pó. Pois ele poder liberar resíduo e até alterar o gosto original do café. E escaldando corretamente, você obtém uma bebida limpa.

4- Quantidade de pó

Para se obter uma bebida saborosa, a proporção deve ser de 10 g de pó para 100 ml de água.

5 – Pré-Infusão

Ela é muito importante para que o Café Especial seja extraído de forma uniforme. Basta despejar um pouquinho de água quente no pó de café, que já está no coador, até que ele fique úmido. Depois deste processo, aguarde por volta de 30 segundos, completando com a água quente, que deve ser adicionada em movimentos circulares e em pouca quantidade

6 – Não adicione açúcar

Muitas pessoas, por costume, adicionam açúcar na água ou até no pó. Se quiser sentir as notas dos Cafés Especiais, não é indicado, pois adoçando, você vai interferir no verdadeiro sabor dele, que no caso dos cafés especiais, já possuem uma doçura natural .

Mas caso decida adoçar mesmo assim, deixe para fazer isso quando o café já estiver pronto, na xícara.

Afinal, gosto é gosto e respeitamos a todos!

7- Conservação:

Guarde na própria embalagem, pois os Cafés especiais normalmente são acondicionados em embalagens que possuem uma válvula que retira o oxigênio dela, evitando assim a oxidação do pó. Mas caso compre algum café que não possua esse tipo de embalagem, utilize alguma que seja hermética para o armazenamento.

 

– Dica extra

Procure comprar cafés de torra recente. Quanto mais fresca a torra, mais aproveitará das propriedades do café!

 

Bons cafés para você!

Rick e Aline
Um casal apaixonado por cafés compartilhando experiências
Amamos Cafés | Cafés especiais 07 de fevereiro 2019

Cafés Especiais: Conheça a nossa História

Muitos seguidores nos perguntam como começou nossa história com os Cafés Especiais. E, por isso, resolvemos atender aos pedidos e escrever esse post. E você, também quer saber? Voilà!

1 – Início da nossa  história

Nossa história com os cafés especiais começou quando sentimos a necessidade de consumir um café de maior qualidade, pois o convencional estava nos fazendo mal, literalmente. E agradecemos muito por isso ter acontecido, pois nos serviu de estímulo!

Nossa história com os cafés especiais.

Nossa história com os Cafés Especiais.

2 – Próximo passo

E para isso acontecer, tínhamos que pesquisar para saber onde encontrar cafés de qualidade superior.  Após consultar a internet e também pessoas, encontramos uma “luz no fim do túnel”.

Sim, e essa luz se chama Starbucks. Começamos comprando todos os cafés que eles comercializavam na época e pedíamos para moer, afinal, ainda estávamos começando nesse mundo fantástico dos Cafés Especiais.

Nossa, que mudança.  A sensação foi incrível, pois além do sabor ser completamente diferente, não nos fez mal. Mas tinha um detalhe que ainda nos incomodava: açúcar.

3 – Sem açúcar

Ainda adoçávamos o café, mas queríamos sentir ainda mais as notas sensoriais dos cafés. Dito isso, resolvemos partir para mais uma mudança. Mas qual? Diminuir o açúcar aos poucos para acostumar o paladar.

Nossa história com os cafés especiais.

Um pouco do nosso “laboratório”.

Foi difícil no começo, mais aos poucos, acredite, o paladar se acostuma. Tanto que conseguimos diminuir até, finalmente, parar. Ficamos muito satisfeitos, pois, a partir daquele momento, iríamos sentir ainda mais as diferenças entre os diversos cafés que comprávamos.

4 – Evolução

Nesse meio tempo, já estávamos equipando nossa casa com acessórios que nos auxiliavam-no preparo dos cafés em diferentes métodos, como: cafeteira Nespresso, cafeteira italiana, prensa francesa, V60 e mais! E claro, sempre visitando cafeterias que trabalhavam com cafés especiais e participando de workshops.

Nossa história com os cafés especiais.

Clever

Mais mudanças? Sim, com o conhecimento que estávamos adquirindo, resolvemos que a gente queria comprar café direto do pequeno e médio produtor. E essa experiência, além de bacana, ainda ajuda a cultura dos cafés especiais se desenvolver ainda mais.

Nossa história com os cafés especiais.

Harmonização com Cafés Especiais

5 – Conclusão

Bom, resumimos um pouco da nossa história com os Cafés Especiais. Nós amamos provar cafés diariamente, aprender, conhecer pessoas e, principalmente, colaborar para difundir ainda mais a cultura dos Cafés Especiais. Afinal, nada mais justo do que sabermos a origem do café que estamos bebendo, né?

Ótimos cafés para você!

Rick e Aline
Um casal apaixonado por cafés compartilhando experiências
1 2 3 4 5